Novidades

Chocolates – Mitos e Verdades

chocolate

 

1. O chocolate engorda?

Apesar do chocolate ser um alimento de alta densidade energética, seu consumo não está diretamente relacionado com o ganho de peso ou obesidade. O aumento de peso é consequência do consumo excessivo de calorias (derivada de vários alimentos) em relação ao gasto de energia.

2. Chocolate causa cárie?

Embora alimentos que contem carboidratos fermentáveis possam causar cárie, o chocolate por si não é responsável por mais cáries. Higiene oral é o fator-chave.

3. Chocolate causa acne?

Mais de duas décadas de pesquisa não foi demonstrada ligação entre chocolate e acne. Alguns dermatologistas, no entanto, afirmam que pacientes com propensão à acne relatam piora após a ingestão exagerada de chocolate.

4. Chocolate vicia?

O consumo de chocolate, ao contrário do que comumente se diz, não causa dependência ao organismo. Na verdade, o desejo incontrolável por chocolate se deve ao fato dele estimular a produção da feniletilamina, substância de ação estimulante e anti-depressiva, precursora da serotonina, neurotransmissor que promove a sensação de bem-estar e calma, beneficiando pessoas com depressão e ansiedade. Para ser caracterizada como dependente, a pessoa precisa consumir chocolate para se sentir bem ou ter sintomas depressivos quando fica muito tempo sem comê-lo. Geralmente, o problema afeta os indivíduos angustiados e os ansiosos.

5. O chocolate causa hiperatividade em crianças?

A quantidade de cafeína e teobromina – substâncias estimulantes- no chocolate é tão pequena que não tem influência sobre o comportamento das crianças.

6. Chocolate causa enxaqueca?

Pesquisas já mostraram que a dor de cabeça e a ingestão de chocolate como fatores isolados não estão relacionadas. A causa da enxaqueca está associada ao estresse, à falta de sono, à fome e às alterações hormonais. No entanto, em pessoas sensíveis, o chocolate pode desencadear enxaqueca devido à presença de feniletilamina e cafeína.

7. Quem é intolerante à lactose não pode comer chocolate?

A maioria dos produtos voltados a pessoas com intolerância à lactose utiliza o leite de soja no lugar do leite de origem animal. Como alternativa, existe o chocolate amargo, que não leva leite na sua composição.
8. As mulheres, em geral, costumam comer mais chocolate?

No período pré-menstrual o desejo por chocolate aumenta devido às alterações hormonais e emocionais características deste período. A mulher com TPM além de sentir mais fome por alimentos ricos em gordura e açúcar sente-se deprimida, ansiosa e irritada e o chocolate alivia todos esses sintomas devido a presença de feniletilamina.

9. Chocolate diet é o mais indicado para quem quer emagrecer e cuidar da saúde?

Os chocolates diet possuem mais gordura do que os chocolates tradicionais. Portanto, para quem quer perder peso não adianta trocar o tradicional chocolate ao leite pelo diet. Este produto é destinado especialmente para pessoas com restrição na ingestão de açúcar como os diabéticos. Para quem cuida da saúde e quer emagrecer a dica é consumir com moderação e optar pelo amargo, ½ amargo, 70% cacau ou as versões light que têm menos gordura e, por isso, menos calorias.

10. O consumo do chocolate faz bem à saúde

O chocolate, principalmente o amargo, contém alta concentração de flavonóides, mais especificamente, de catequina, substância antioxidante que combate os radicais livres, retardando, assim, o envelhecimento, e ajudam a diminuir os níveis de LDL (o mau colesterol) no sangue. Além disso, contém vitaminas A, B, C, D e E e sais minerais, como o ferro e o fósforo. De qualquer modo, por ser altamente calórico, deve ser consumido com moderação inclusive por pessoas saudáveis. O chocolate ao leite e o branco são os menos recomendados, devido às gorduras saturadas presentes no leite. 30 gramas de chocolate amargo ao dia é o recomendado.

P.S.: Esse post eu fiz para minha noiva, chocólatra de boca cheia! ;-D

Anderson Dino (94 Artigos)

Cientista, Blogueiro, Nexialista, Educador e Sonhador.
Defensor do Glocal: Pense Globalmente e Aja Localmente.